Educação Empreendedora: Um novo olhar na educação

Empreendedorismo é uma expressão que vem do mundo dos negócios. O termo, porém, tem tudo a ver com educação. Afinal, um dos objetivos da escola, desde a Educação Infantil, é formar alunos autônomos – é nessa fase que as crianças aprendem o convívio em sociedade assim como serem mais autônomas.

Muitas das habilidades que os estudantes desenvolvem ao longo da escolaridade são requeridas de um empreendedor ou de um profissional competente. Eles precisam saber superar obstáculos, ter iniciativa, assumir desafios, exigir qualidade, planejar e estabelecer metas. Alunos que têm noções de empreendedorismo aprendem conceitos e conhecimentos que fazem parte do currículo e que mais tarde vai ajudá-los a entrar no mercado de trabalho sem depender das vagas de emprego, cada vez mais escassas.

Pode parecer estranho para algumas pessoas falarem de educação empreendedora ou, até mesmo, empreendedorismo, em uma sociedade que investe muito dinheiro em cursinhos preparatórios, livros e apostilas, tentando tornar possível o sonho de ser um servidor público ou, então, que são focados estritamente em vestibulares.

Falo isso, pois tenho um projeto de educação empreendedora para alunos de nona série e primeiro colegial, mas tenho enfrentado resistência de escolas. Já ouvi coisas do tipo: “os alunos têm que se preocupar com o vestibular”, ou então: “os pais não vão aceitar isso, pois pode desviar o aluno para o caminho que o pai traçou para ele”, e por aí vai.

Entretanto, a proposta de educação empreendedora, hoje difundida em muitas escolas e também em empresas, tem por objetivo a criação de um ambiente “cultural” favorável ao desenvolvimento do espírito empreendedor; ou melhor, proporcionar atitudes ou ações desenvolvedoras do autoconhecimento.

Quando o aluno se forma na escola, no curso técnico, na faculdade, ou onde for, muitos não têm o preparo mental pronto para enfrentar os desafios do mercado de trabalho. De acordo com pesquisas, o ano de 2010 iria bater o recorde de pessoas qualificadas que estariam desempregadas.

E por quê? Simples. Pois só o diploma de um curso não resolve nada. Assim, como as empresas, para se ter sucesso nos dias de hoje, é preciso ter diferencial. Saber agir, saber liderar pessoas, conhecer de negociação, saber fazer contatos, entender de sustentabilidade, e por aí vai.

Não estou falando apenas em montar a própria empresa, até porque empreender é uma questão de atitude. Você pode ser empreendedor dentro de sua casa, na sua família, buscando resolver os problemas, ajudando os outros, sendo proativo, etc. Você, também, pode ser empreendedor dentro de seu emprego, dando idéias para ajudar a empresa, buscando melhorar sempre suas habilidades, entre outros.

Acredito que é necessário se repensar a educação. Uma aula, hoje, não é diferente de uma aula há trinta anos atrás. Mas o mundo não é mais o mesmo. Não basta apenas se modernizar em equipamentos, é preciso modernizar a mentalidade das pessoas. E isso, talvez, seja a parte mais difícil. Pense nisso.

Grande abraço e sucesso!!

Anúncios
  1. Caro Celso,

    Seu artigo mais uma vez é muito interessante. Acabo de postar algo relacionado ao que você comenta no meu Blog, depois você e os seus leitores, se quiser(em) estão convidados a me visitar.

    O empreendedorismo na Educação é algo novo, existe não apenas problemas com relação a sua aceitação, mas muito também porque as pessoas não o conhecem e também porque pensam que é algo que limitado. Por exemplo, seria o mesmo que um estudante do curso de farmácia falar que estuda isso pra uma pessoa e essa pessoa responder: “você vai trabalhar em qual farmácia (rede)?”. Entenda que falta informação e esse estudante terá de esclarecer melhor o que é sua profissão.

    Não só o empreendedorismo, mas muitas áreas estão com dificuldades de entrar na educação, mesmo porque os curso de Pedagogia e as Licenciaturas se preocupam em formar apenas o professor e não um profissional com visão ampla e abrangente. Isto a meu ver é triste, mas que continuemos otimistas e em busca de nossos espaços.

    Abraço e Sucesso!
    Carlos Candido

    • Celso
    • 12 de janeiro de 2011

    Olá Carlos!

    Realmente o modelo de educação no Brasil deve ser repensado, tanto com a parte de educação empreendedora quantoa aparte de inclusão, entre outras.

    Obrigado pelos comentários!!

    Grande abraço e sucesso!!

    • Valéria Leite
    • 19 de janeiro de 2011

    Olá Carlos!

    Gostei muito do seu artigo. Sou professora, atualmente não estou na escola, tive dias difíceis. Ano passado quando a diretora me colocou um desafio nas mãos, um projeto de empreendedorismo para desenvolver na escola estadual em que estava iniciando minhas atividades com as séries iniciais. Primeiro achei muito estranho um tipo de projeto desses para crianças. Fiquei completamente sem ação e eles também, acredito que queriam uma ação minha, mas paralisei. Tive que deixar a escola, pois não conseguia fazer nada na sala de aula. Como disse Carlos Candido o empreendedorismo na Educação é algo novo, existe não apenas problemas com relação a sua aceitação, mas muito também porque as pessoas não o conhecem e também porque pensam que é algo limitado. O primeiro passo que fiz foi procurar o SEBRAE para uma orientação mesmo não tendo essa instituição na cidade. Sabia que teria muita coisa a ser feita, em primeiro lugar procurar atrativos para os alunos, mas a sala de aula me prendeu. Como entender e repassar algo novo preso na da sala de aula? Como disse Carlos Candido o curso de Pedagogia e as Licenciaturas se preocupam em formar apenas o professor e não um profissional com visão. Lembrando que sou formada desde 1989, nessa época nem pensávamos em mestrado ou doutorado, para mim foi muito triste, pois não tive como mudar mesmo tendo muitas idéias. Acredito que a educação no Brasil terá um novo modelo quando for pensada numa educação empreendedora.

    Valéria

    • Celso
    • 19 de janeiro de 2011

    Olá Valéria! Obrigado pela interação no artigo!

    Também acredito que a Educação Empreendedora será uma ferramenta primordial para alavancar ainda mais nosso país. Realmente, muitas pesoas que “coordenam” a educação e as escolas hoje, se prendem em princípios de que devem passar o conteúdo para o aluno, sem se preocupar em mostrar o porquê os alunos aprenderão aquilo e como aquele assunto será útil na vida deles.

    Se no mercado de trabalho com estudo já está difícil, sem estudo é ainda pior, mas focar “apenas” vestibular, sem oferecer novos caminhos para os alunos, é deplorável. Ainda mais porque hoje em dia não é como antigamente que você precisava ter uma faculdade, ter uma carteira de trabalho assinada e pronto! Sua vida estava garantida. Hoje, essas coisas não são garantias de nada.

    Mas vamos tentando fazer a nossa parte e torcer para a mentalidade desses “educadores” mudem.

    Grande abraço e sucesso!!

    • Valéria Leite
    • 19 de janeiro de 2011

    Carlos

    É isso mesmo que tenho feito. Com o projeto de Informática na Educação muita coisa mudou por aqui, fica difícil hoje um secretário assumir sem ter o compromisso com as novas tecnologias na educação e com isso a distância de melhorar o ensino fica cada vez mais difícil se não mudar essa mentalidade.

    Um abraço

    • Celso
    • 20 de janeiro de 2011

    Oi Valéria,

    Esse é o caminho: a busca constante por novas habilidades, capacidades e desejos de se fazer mais e melhor aquilo que fazemos.

    Grande abraço e sucesso!
    Celso.

  2. Que bacana a Educação Empreendedora estar criando este debate. Talvez fosse interessante montarmos um grupo de estudo e trabalho sobre o tema….

    Carlos Candido

    • Celso
    • 20 de janeiro de 2011

    Olá Carlos!

    Realmente é um tema bem interessante para ser estudado. Podemos pensar no assunto. Obrigado pelo incentivo!

    Grande braço e sucesso!!

    • Valéria Leite
    • 20 de janeiro de 2011

    Olá Celso,

    Concepção ampliada de educação de jovens e adultos entende educação como direito de aprender, de ampliar conhecimentos já trazidos ao longo da vida e não apenas de ser escolarizado. Seria um grande debate sobre a Educação Empreendedora. Conte comigo.

    Um abraço.

    • Celso
    • 21 de janeiro de 2011

    Olá Valéria,

    Então estamos fechado. Comecemos aqui um debate sobre Educação Empreendedora, com vídeos, questionamentos, etc.

    Comecei a adaptar o blog para o assunto, e focarei os meus posts em cima do mesmo.

    Espero contar com a colaboração sua, do Carlos e de quem mais sentir a necessidade de conversar sobre o assunto.

    Grande abraço e sucesso!!

    • zigomar
    • 20 de fevereiro de 2011

    Olá Celso,
    Infelizmente no Brasil não mudou muito da época do descobrimento até data atual, tem varios exemplos a ser visto.É preciso mudar sim o modo da educação no Brasil, por novas ideias em praticas, por pessoas atualizadas na educação. E não aqueles que falam mecher para que, sempre foi assim a mais de xxxxxx. Estes pensamento é o caus da educação no Brasil.
    abraço, sucesso.

    • Celso
    • 22 de fevereiro de 2011

    Olá Zigomar,

    Concordo plenamente com você! O modelo de educação no Brasil precisa ser revisto. Essa “desculpa” de que sempre foi assim é falta de coragem para sair da “zona de conforto” e correr atrás de novas idéias. É mais cômodo manter do que mudar.

    Grande abraço e sucesso!!

    • Celso
    • 29 de agosto de 2011

    Olá Valéria,

    Infelizmente isso demonstra como a Educação no Brasil precisa melhorar. Parecem que as pessoas não querem sair da zona de conforto. Querm mudanças mas não querem fazer a mudança. Tambpem dou aulas desde os quinze anos de idade, e já passei por muitas coisas. Mas não podemos desistir. Vamos seguir sempre em frente. Precisamos é juntar forças e tentar sermos a mudança que queremos.

    Grande abraço e sucesso!!

    • Sandra Regina Rocha
    • 22 de fevereiro de 2013

    Olá Celso, gostaria de parabeniza-ló por seu artigo proposto, estou no último semestre em:Educação Empreendedora da Infância, pela Universidade Mackenzie Presbiterina, será que voçe poderia indicar mais artigos e livros, pois vou começar escrever minha monografia.

    Desde já agradeço sua atenção.
    Pedagoga
    Sandra Regina Rocha

    • Celso Derisso Filho
    • 4 de abril de 2013

    Bom dia Sandra, tudo bem?

    Obrigado pelo contato. Tente procurar livros de um autor chamado Fernando Dolabela. Ele segue bastante essa linha de educação empreendedora e possui dois livros que são referências na área: O Segredo de Luísa e Oficina do Empreendedor.
    Espero ter ajudado.
    Grande abraço e sucesso!!

  1. 24 de agosto de 2011

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: