Os Alunos e a Carpa

Ontem (14/09) tive a oportunidade de voltar à faculdade na qual me formei na graduação, para dar uma palestra sobre EMPREENDEDORISMO. Foi muito bom ver que os alunos estão com o desejo de ter suas próprias empresas no futuro.

Durante a apresentação fui fazendo algumas perguntas e pude perceber que muitos possuem a vontade mas não o fazem por falta de incentivo e por falta de saber qual caminho seguir.

Com isso, me lembrei da história da Carpa, que é um peixe que cresce de acordo com o tamanho do ambiente em que vive. Se ela fica em um tanque pequeno, crescerá pouco. Se estiver em um rio, crescerá mais. E isso é extremamente interessante se analisarmos pela visão do emprendedorismo.

A falta de incentivo é, talvez, o maior empecilho para que os alunos cresçam e desenvolvam todo seu potencial. É como se eles fossem Carpas que vivem em um tanque pequeno: podem crescer mais, mas não o fazem pelo fato de não estarem em um ambiente que permita tal crescimento.

E quando um ambiente de educação, como a faculdade, faz um ato extremamente louvável para tentar incentivar os alunos e leva uma palestra sobre emprendedorismo para eles, deve ser parabenizada. Para os alunos, vai fazer a diferença? Talvez não da noite para o dia, mas pelo menos, uma semente foi plantada. A menos, foi mostrado aos alunos que eles podem partir para um “tanque maior” e crescerem ainda mais.

É aquele velha estória quando perguntaram para um senhor como ele havia feito para andar dois mil quilômetros a pé. E ele respondeu: “Foi simples. Dei o primeiro passo, e o restante veio na sequência”. Pense nisso.

Grande abraço e sucesso!!

Anúncios
    • Célia
    • 27 de setembro de 2011

    Aê Celso, mandou bem, é a evolução no ensino, abraços

    • Celso
    • 27 de setembro de 2011

    Obrigado Célia!!
    Evolução sempre!! rsrs.
    Até!!

    • Valéria Leite
    • 2 de outubro de 2011

    Olá Celso,
    É uma grande verdade, um tanque pequeno o peixe só vai crescer de acordo com o tamanho do ambiente em que vive. Imagina uma pessoa querendo crescer e não ter como… Se sente frustrada, pois a sua realidade fica longe de acontecer. Um dia eu estava fazendo uma faxina em casa e encontrei uma revista. Folheando encontrei uma frase que dizia assim: “Há excelentes profissionais que não se adequariam ao ambiente formal de uma grande corporação. Um profissional sentindo-se deslocado não se desenvolve da forma como poderia”. Nem sempre uma grande empresa é um grande caminho para o sucesso profissional, é claro. Acredito que é possível traçar uma carreira promissora em organizações menores. O profissional de pequenas empresas aprende a trabalhar com as diferentes áreas ao mesmo tempo em que mantém atualizado com outras áreas de negócio. Nas grandes empresas a especialização é quase inevitável. Há mercado para todos os perfis. O problema é que não podemos ser barrados para melhorar a empresa guando ela precisa. Quando já é grande o suficiente é por que foi gerenciada por pessoas que tiveram visão de negócio. Por que não aprender com elas? Nas escolas há muita burocracia. Em meio a dezenas- e até centenas- de bons profissionais, uma pessoa pode ter dificuldade para se destacar, mas quando ele é visto de perto pelo chefe, deposita confiança, passa a ser uma oportunidade de crescimento irrecusável, tudo muda na vida profissional. Uma pessoa descontraída, com liberdade para organizar-se faz muita diferença nas tomadas de decisão.
    As universidades devem abrir um leque de oportunidades. Incentivar os alunos que realmente tenham interesse de inovar e empreender. Não pode ser uma dificuldade, tem que ter laboratório para que avancem atraindo assim alunos para as áreas que sofrem com a falta de profissionais capacitados. Nem todos têm o mesmo interesse quando chegam ao ensino superior, mas há aqueles que querem muito e são esses que mais precisam de incentivo. O professor precisa está atento, pois um bom profissional não nasce do dia para o outro, ele tem um sonho que precisa ser alcançado, e é nesse momento que deve ser visto o tamanho do tanque em que ele vive e que a cada passo dado seja alcançado seus objetivos.

    Um abraço.

    • Valéria Leite
    • 21 de outubro de 2011

    Olá Celso,
    É uma grande verdade, um tanque pequeno o peixe só vai crescer de acordo com o tamanho do ambiente em que vive. Imagina uma pessoa querendo crescer e não ter como… Se sente frustrada, pois a sua realidade fica longe de acontecer. Um dia eu estava fazendo uma faxina em casa e encontrei uma revista. Folheando encontrei uma frase que dizia assim: “Há excelentes profissionais que não se adequariam ao ambiente formal de uma grande corporação. Um profissional sentindo-se deslocado não se desenvolve da forma como poderia”. Nem sempre uma grande empresa é um grande caminho para o sucesso profissional, é claro. Acredito que é possível traçar uma carreira promissora em organizações menores. O profissional de pequenas empresas aprende a trabalhar com as diferentes áreas ao mesmo tempo em que mantém atualizado com outras áreas de negócio. Nas grandes empresas a especialização é quase inevitável. Há mercado para todos os perfis. O problema é que não podemos ser barrados para melhorar a empresa guando ela precisa. Quando já é grande o suficiente é por que foi gerenciada por pessoas que tiveram visão de negócio. Por que não aprender com elas? Nas escolas há muita burocracia. Em meio a dezenas- e até centenas- de bons profissionais, uma pessoa pode ter dificuldade para se destacar, mas quando ele é visto de perto pelo chefe, deposita confiança, passa a ser uma oportunidade de crescimento irrecusável, tudo muda na vida profissional. Uma pessoa descontraída, com liberdade para organizar-se faz muita diferença nas tomadas de decisão.
    As universidades devem abrir um leque de oportunidades. Incentivar os alunos que realmente tenham interesse de inovar e empreender. Não pode ser uma dificuldade, tem que ter laboratório para que avancem atraindo assim alunos para as áreas que sofrem com a falta de profissionais capacitados. Nem todos têm o mesmo interesse quando chegam ao ensino superior, mas há aqueles que querem muito e são esses que mais precisam de incentivo. O professor precisa está atento, pois um bom profissional não nasce do dia para o outro, ele tem um sonho que precisa ser alcançado, e é nesse momento que deve ser visto o tamanho do tanque em que ele vive e que a cada passo dado seja alcançado seus objetivos.

    Um abraço.

    • Celso
    • 23 de outubro de 2011

    Olá Valéria,

    Sábias palavras!! Eu acredito que todos temos potencial para sermos o que quisermos, basta descobrirmos isso. Muitas vezes, a ppropria pessoa não sabe que pode ir além, e precisa de alguém que a ajude a enxergar isso. Vejo esse como sendo o papel do educador. Uma espécie de coach que busca extrair o potencial de seus alunos. Esses mesmos alunos, precisam saber de toda a possibilidade que existe para eles, que eles odem ser mais do que são e ser o que quiserem. Eles precisam ter noção de que existem tanques maiores e, até mesmo, rios imensos para eles.

    Obrigado pela participação sempre ativa!

    Grande abraço e sucesso!!

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: